terça-feira, 16 de maio de 2017

Filme sobre os últimos anos de vida de Michael Jackson ganha primeiro trailer

Prestes a completar 8 anos, a morte de Michael Jackson ainda gera curiosidade em muita gente... tanto é que o canal norte-americano Lifetime resolveu produzir um filme narrando os últimos anos de vida do cantor. Intitulado “Michael Jackson: Searching for Neverland”, a produção teve seu primeiro trailer divulgado nesta segunda (15) com destaque, obviamente, para a atuação do imitador Navi. Auto-proclamado “o melhor dublê” do rei do pop, o britânico parece ter mandado bem... Assista: 





Como vocês devem ter percebido no vídeo, os guarda-costas de Michael têm uma grande participação na narrativa e não é à toa... “Michael Jackson: Searching for Neverland” é baseado no best-seller “Remember the Time: Protecting Michael Jackson”, escrito pelos seguranças pessoais do astro, Bill Whitfield e Javon Beard em 2014. Na obra, eles revelaram até alguns detalhes da investigação da morte de Michael que terminou com a condenação do Dr. Conrad Murray.  


Com direção de Dianne Houston (Vem Dançar) e roteiro de Elizabeth Hunter (Resistindo às Tentações), o telefilme vai ao ar no próximo dia 29 de maio nos EUA.

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

CD Single Michael Jackson - Cry (DOWNLOAD)


“Cry” é o segundo single do álbum Invincible, de 2001. Lançada em 3 de dezembro. A canção e a segunda musica da parceria de Michael Jackson com R. Kelly, que já tinha trabalhado com Michael na apaixonante “You Are Not Alone” e posteriormente “One More Chance”.

O single ficou 4 semanas no Top 75 e vendeu 20.000 cópias nos Estados Unidos e 600.000 mundialmente. Devido a briga de Michael Jackson com a Sony. Ele desistiu e não participou do videoclipe da musica. Com a direção da Sony e Nicholas Brandt que já tinha trabalhado com Michael em três videoclipes do álbum History. Assim como “Man in the Mirror” é “Heal The World”, Michael não aparece no videoclipe apenas imagens aleatórias relacionadas com a música.

O disco single incluir a faixa original e uma versão estendida com o áudio completo igual do videoclipe e “Shout” que foi trabalhada para o álbum Invincible, mas acabou sendo excluída do disco e “Streetwalker” excluída do álbum Bad.

Tracklist:
  1. Cry
  2. Shout
  3. Streetwalker
  4. Cry - Short Film



DEIXE O SEU COMENTÁRIO LOGO ABAIXO E UM INCENTIVO MUITO GRANDE PARA CONTINUAMOS ATUALIZANDO O BLOG.


quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Lost Children - As Crianças Perdidas


Em Novembro do ano 2000, Michael se juntou a mim em Nova York. Nós reservamos um andar inteiro no Four Seasons. Michael ficou com uma suíte, como sempre, ao passo que Grace tinha um quarto só para ela e eu também. As crianças geralmente ficavam com Michael em seu quarto, a não que ele fosse acordar muito cedo para ir ao estúdio, quando dormiam com Grace.

Michael havia montado um estúdio de gravação em outro dos quartos do andar e levado Brad Buxer para trabalhar lá mesmo no hotel. Uma das canções que ele e Brad aperfeiçoaram ali foi “Lost Children”, em que Michael expressava o desejo de que as crianças perdidas do mundo pudessem esta em casa com os pais. Se alguém ainda pensasse que Michael sofria de um clássico complexo de Peter Pan, aquela música era prova que, ao contrário do personagem de James Barrie, ele não desejava viver num mundo em que “garotos perdidos” habitavam uma fortaleza subterrânea. Michael queria que as crianças estivessem na segurança de seus lares. Ao final da canção, meu irmão Aldo, então com 7 anos, e Prince, que tinha apenas 3, travaram um pequeno diálogo. Michael lhes deus frases e Brad gravou suas vozes.

_Aqui na floresta é tão silencioso. Olhe só quantas árvores – diz Aldo.

_E quantas flores lindas... – acrescenta Prince.

A inspiração para “Lost Children” era a vida emocional de Michael como pai. Ele sentia quanto sua presença era importante para seus filhos. Mas Michael possuía esse instinto de proteger as crianças bem antes de se tornar pai. Sempre havia se preocupado com o bem-estar delas. A paternidade não o transformou, mas o realizou como pessoa. E, no que dizia respeito à sua arte, serviu apenas para reforça suas crenças mais ainda.

Michael dizia que suas músicas se escreviam sozinhas, mas eu o via se esforçar muito em sua criação. Como de costume, ele escutava os hits mais recentes, acompanhando religiosamente as listas da 10 mais ouvidas. Sempre tinha suas favoritas, que colocava para tocar o tempo todo. Naquela época, elas eram “It Wasn’t Me”, de Shaggy, e “My Love is Your Love”, de Whitney Houston. O processo de criação era diferente para cada canção, mas ele geralmente começava com um trecho da melodia e então encaixava a letra nela.


Frank Cascio (Trecho do livro meu Amigo Michael)

DEIXE O SEU COMENTÁRIO LOGO ABAIXO E UM INCENTIVO MUITO GRANDE PARA CONTINUAMOS ATUALIZANDO O BLOG.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...